A proposta de criação de uma rede de trocas entre empreendimentos
solidários, é uma necessidade de sobrevivência para muitos empreendimentos solidários, que neste momento se encontrão em sua maioria, na condição de empresas informais, os motivos para estarem nesta situação são muitos, entre eles:
1 – Desconhecimento e falta de recursos para oficializar os empreendimentos solidários.
2 – Não ter condição de realizar os pagamentos dos impostos incidentes sobre os produtos, serviços e saberes oferecidos.
3 – Não ter capital de giro.
4 – Falta de equipamentos, maquinas e instalações para desempenhar as
necessidades do empreendimento.
5 – Baixa carteira de clientes, para consumir com dinheiro, os produtos,
serviços e saberes oferecidos pelo empreendimento.
6 – Faltam de recursos para uma boa divulgação dos produtos, serviços e
saberes oferecidos pelo empreendimento.
7 – Dificuldades em conseguir empréstimos, por não conseguir a documentação necessária para aprovar os financiamentos.
8 – Competição desigual, onde os empreendimentos solidários não conseguem
colocar seus produtos, serviços e saberes, com preços competitivos, por não ter como diminuir os custos de produção e comercialização.
A saída para muitos empreendimentos é o encerramento de atividade, ou viver na condição de empresa informal, que é a realidade de muitos de nossos empreendimentos solidários.
Nesta condição os empreendimentos solidários, têm suas vantagens, mas por
outro lado, suas limitações lhes impedem de um planejamento para o
crescimento do empreendimento.
Nossa proposta é construir uma rede de trocas entre empreendimentos
solidários com a participação de todos os empreendimentos.
Criaremos juntos uma rede, que possibilite aos empreendimentos otimizar
recursos que hoje são despesas aumentando o custo dos produtos, serviço e
saberes oferecidos.
Exemplo de otimização de recursos:
Criaremos juntos uma Central de administração, com estrutura de assessoria contábil, jurídica, financeira e administrativa, secretaria, serviços externos, telefone, fax, internet, sala para receber os sócios dos empreendimentos com seus clientes nas negociações de seus empreendimentos, sala de reunião com os sócios dos empreendimentos para discutir suas decisões, avaliações, encaminhamentos, cursos de formação e capacitação, compras coletivas, banco de micro credito em moeda oficial e moeda solidária.
Outro recurso a ser utilizado entre os empreendimentos solidários é a
utilização das trocas de produtos, serviços e saberes, com o uso da moeda
social, potencializando a capacidade ociosa dos empreendimentos solidários, o quer dizer isto:
Todas as empresas de produção, serviços e saberes, possuem uma capacidade
ociosa.
O que é capacidade ociosa?
Quando um empreendimento, não consegue usar 100% de sua capacidade, chamamos a parte que não é explorada pelo empreendimento de capacidade ociosa, infelizmente esta é uma realidade de muitos empreendimentos solidários.
Porque estamos falando em capacidade ociosa?
Nosso objetivo não é mexer nas negociações já conseguidas pelos
empreendimentos, ou seja, o empreendimento que estiver negociando seus
produtos, serviços e saberes, nos vamos estimular a continuar estas
negociações, porem a capacidade ociosa do empreendimento, nos queremos
propor uma nova forma de negociar, visando melhorar a qualidade de vida
deste empreendimento.
Como isso e possível?
Vamos usar um exemplo de uma padaria que tem a capacidade de produzir 3000 pãezinhos por dia, porém esta padaria só produz por dia 1000 pãezinhos, os motivos alegados por este empreendimento é que se produzir os 3000 pãezinhos por dia, os 2000 pãezinhos seriam perdidos por falta de compradores.
Nossa proposta para estes empreendimentos é continuar a negociação dos 1000 pãezinhos por dia em dinheiro, não vamos mudar nada, o que vamos propor e que os 2000 pãezinhos sejam trocados com outros empreendimentos, exemplo de troca:
Se conseguirmos um empreendimento solidário que seja um pequeno comercio que necessita de pãezinhos, faremos uma proposta de pagamento dos 2000
pãezinhos, por produtos, como por exemplo: Farinha de trigo, este produto é matéria prima para a produção de mais pãezinhos na padaria, o que iria
acontecer, o mercado deixa de comprar em dinheiro os pãezinhos, sobra mais dinheiro para seu empreendimento, e a padaria deixa de comprar em dinheiro a farinha de trigo para produzir os 3000 pãezinhos, fazendo com que o dinheiro da venda dos 1000 pãezinhos fique na padaria, onde os sócios poderão decidir pelo pagamento de despesas ou uma distribuição de lucro entre os sócios desta padaria.
No momento estas são propostas possíveis, não se trata de uma invenção, já existem no mundo mais 300.000 empresas promovendo trocas entre
empreendimentos, nossa proposta e potencializar as trocas entre
empreendimentos solidários, com objetivo de dar aos empreendimentos uma
possibilidade de competir neste mercado tão injusto, com condições de
igualdade.

Carlos Henrique (Representante de clube de trocas em São Paulo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *