Gestão de Diferenças

Linguagem é o modo particular por meio do qual uma época, uma região, um grupo social ou uma pessoa se expressam.

A Cooperação é a força unificadora mais positiva que agrupa uma variedade de indivíduos com interesses separados numa sociedade coletiva. (Haratmann)

Sabemos que, muito mais que uma ferramenta para atingir objetivos, a Cooperação precisa ser aprendida e praticada em nossa sociedade.

A Linguagem Cooperativa se propõe a nutrir a Cultura da Cooperação, tal como proposta no processo dos Jogos Cooperativos e tem como base o trabalho de “Comunicação Compassiva”.

Como um dos possíveis caminhos de educação/reeducação e como filosofia de vida, os Jogos Cooperativos representam um importante movimento mundial. Terry Orlick, da Universidade de Ottawa, Canadá, foi um de seus seus precursores, com a publicação do livro “Vencendo a Competição” em 1978. Aqui no Brasil, no início da década de 90, tivemos como pioneiro Fábio Otuzi Brotto, focalizador do Projeto Cooperação ( www.projetocooperacao.com.br )

De lá para cá, em crescente aplicação, os Jogos Cooperativos vêm sendo difundidos por diversos profissionais nas mais diversas áreas, dentre as quais, esporte, educação, treinamento e desenvolvimento de pessoal em recurso humanos, projetos sociais, cultura, lazer, etc.

Este trabalho, com uma pedagogia e uma cultura da Cooperação, vêm promovendo a “ensinagem” de novos modos de auto-percepção, de percepção do outro e de percepção do mundo, repensando com sucesso o velho paradigma da competição, individualismo e outros condicionamentos.

A Comunicação Compassiva foi desenvolvida por Marshall Rosenberg, PhD, conhecido mundialmente por seu trabalho de paz entre comunidades em conflito, Doutor em psicologia clínica, desde 1966. Ele e seus associados estão atuando nos cinco continentes, oferecendo habilidades de convivência não-violenta a educadores, estudantes, pais, profissionais das áreas de saúde e saúde mental, em delegacias, quartéis, presídios, igrejas, na gestão pública, a mediadores de conflito, administradores, advogados, ativistas e diplomatas. A Comunicação Compassiva oferece meios práticos para que possamos viver a visão compartilhada pela psicologia moderna e tradições espirituais milenares. É uma ferramenta que facilita a transformação de conflitos em diálogos construtivos, dissolvendo a violência, possibilita relações de respeito sustentáveis, aprimora a parceria e desperta nossa essência solidária.

“Ouvir com empatia não significa fatalmente fazer o que a outra pessoa quer; significa, isto sim, mostrar o conhecimento e respeito pelo mundo interior daquela pessoa. Receber com empatia uma mensagem, procurando perceber o outro, suas necessidades e pedidos, isentos de críticas ou exigências, é um gesto de reciprocidade. Falar a partir do coração é um gesto de amor, dando às outras pessoas uma oportunidade de contribuir com o nosso bem estar e praticar a generosidade.” (Marshall Rosenberg)

Pela Linguagem Cooperativa, estamos procurando desenvolver a sistematização do conjunto de conceitos próprios da filosofia e da prática da Cooperação. Por meio de uma série de exercícios de simples aplicação no cotidiano, desenvolvemos a expressão sincera de sentimentos e necessidades pelo exercício da conexão empática, promovendo a qualidade das relações intra e interpessoais.

A prática da Linguagem Cooperativa demonstra-se como uma possibilidade bastante apropriada para a gestão de conflitos nos mais diversificadas situações.

Procuramos evidenciar que o adequado tratamento de conflitos requer uma abordagem interdisciplinar, agregando elementos pessoais, macro e micro presentes em cada caso.

Numa reunião, podemos indicar as principais fases formais em busca do consenso: