This wig ornaments appears very early. As early as in ancient Egypt, the ancient Egyptian men have shaved his head after all shave and wear wigs. Later the Romans by Egyptian influence, is also keen to wear a wig.cosplay wigsclip in hair extensionshuman hair extensions for womenclip in human hair extensionsreal hair wigshuman hair wigs for white women
Partilhando sobre Liderança e Parceria
  • catalisa@catalisa.org.br

Mais Artigos

ATIVIDADES CATALISA 2012-2013

2013-07-06 21:17:39

Documentos finais da RIO+20

2013-03-09 19:58:34

Movimento ambiental brasileiro aponta retrocessos na política ambiental do MMA

2012-12-28 00:00:00

Declaração da IX Assembleia Geral da Rede Brasil

2012-08-28 00:00:00

ATIVIDADES CATALISA 2011-2012

2012-07-29 00:00:00

RECEITA DE ANO NOVO

2011-12-05 00:00:00

Saúde e Ambiente: Serra Clara, Delfim Moreira/MG

2011-10-26 00:00:00

Especialistas alertam para o perigo dos agrotóxicos para a saúde humana e o meio ambiente

2011-05-12 00:00:00

Brasil implementa ações para garantir água em quantidade e qualidade

2011-04-01 00:00:00

Atividades CATALISA 2010-2011

2011-03-30 00:00:00

Ambiente e saúde: avaliação na Microbacia da Serra Clara, Alto Sapucaí, Delfim Moreira/MG

2011-02-10 00:00:00

Lagos e Rios no Ciclo de Carbono

2011-01-22 00:00:00

Recuperação de Áreas Degradas

2010-11-30 00:00:00

Água doce e ameaçada

2010-10-05 00:00:00

Atividades CATALISA 2009 - 2010

2010-05-30 00:00:00

Década Internacional: Água é Vida

2010-04-15 00:00:00

Norma ISO 26000 é aprovada para publicação em 2010

2010-02-25 00:00:00

Atividades CATALISA 2008 - 2009

2009-04-10 13:52:01

Responsabilidade Social e a construção da Norma ISO 26000

2008-09-26 20:49:42

Capacitação da sociedade: estratégia para a gestão de Recursos Hídricos

2008-08-16 21:48:45

O Evento Festival da Água no Terceiro Milênio

2008-07-14 18:50:23

Educação Ambiental e Agenda 21

2008-05-07 16:56:04

Atividades CATALISA 2007 - 2008

2008-05-03 01:00:32

Refletindo sobre Aquecimento Global e nossa Sociedade

2007-10-01 03:00:00

Escassez de água atinge 1,4 bilhão de pessoas no mundo

2007-09-03 22:18:25

AGENDA 21 LOCAL: A Cooperação entre os 3 Setores em busca da Sustentabilidade

2007-07-01 03:00:00

Atividades CATALISA 2006-2007

2007-05-16 21:02:38

Declaração Universal dos Direitos da Água

2007-03-04 20:58:27

Mudanças Climáticas - Futuro Radical

2007-02-15 16:53:05

Água: Uma Década de Lei

2007-01-23 12:00:30

Refletindo sobre Redes e Desenvolvimento Local

2006-11-09 09:48:18

Brasil - Índice de Desenvolvimento Humano

2006-11-09 00:00:00

Atividades CATALISA 2005-2006

2006-09-20 00:00:00

I Conferência Nacional de Economia Solidária - junho 2006 - Documento Final

2006-08-10 00:13:26

Carta de Santa Maria - Economia Solidária

2006-07-10 00:00:00

Economia Solidária - Texto Base da I CONEA (Síntese)

2006-05-18 15:53:13

Carta Convenção da Diversidade Biológica - COP 8

2006-03-30 00:00:00

Os Donos do Planeta: Corporações 2005

2006-01-14 22:00:57

Conferencia Nacional de Meio Ambiente - Texto Base - MMA

2005-11-08 13:53:39

Pegada Ecológica

2005-10-24 16:45:49

Criação de REDE DE TROCAS entre Empreendimentos Solidários da Cidade de São Paulo

2005-10-15 21:28:15

Lei Especifica Guarapiranga

2005-10-06 16:34:36

Carta de Compromisso Produção Mais Limpa

2005-10-06 14:55:10

Atividades CATALISA 2004-2005

2005-09-30 00:00:00

Consumo Consciente e a Redução de Lixo Produzido

2005-09-26 22:18:26

Conselho Nacional de Economia Solidaria

2005-08-30 15:56:54

Propostas do Ciclo de Seminários Parlamento das Águas

2005-08-24 13:58:11

Cooperação para Sustentabilidade na Capacitação da Sociedade Civil

2005-07-01 13:34:54

Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda - Termo de Referencia

2005-06-28 19:35:26

Composição do Comitê da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê / 2005 - 2007

2005-06-28 15:12:13

Anteprojeto de Lei de Regulamentação de Cooperativas de Trabalho

2005-05-31 12:36:13

Microcrédito: a Democratização do Crédito

2005-04-29 16:59:46

Projeto de Lei de Economia Solidária do Estado de São Paulo

2005-03-30 10:47:21

Situação Atual do Mundo

2005-02-15 05:01:34

Jogos Cooperativos na Economia Solidária

2004-12-10 04:19:20

Economia Solidária: a Cooperação nas Relações de Trabalho

2004-11-01 02:01:26

Coperativismo e seus Princípios

2004-09-30 20:48:39

Comércio Justo e Solidário

2004-06-29 02:09:44

Caracterização de Empreendimentos Solidários

2004-05-25 09:54:05

Carta de Princípios da Economia Solidária

2004-04-21 04:52:36

Plano Estadual de Recursos Hídricos

2004-02-02 14:15:34

HINO À BANDEIRA

2003-11-19 10:09:02

HINO À PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

2003-11-15 10:17:22

Consciência de Grupo: A essência da Cooperação

2003-11-15 04:10:17

Ética e Cooperação

2003-10-29 01:47:48

HINO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

2003-09-07 21:58:12

Balanceando o Poder

2003-09-07 04:13:30

Partilhando sobre Liderança e Parceria

2003-08-10 04:07:15

Ecologia Interna e Simplicidade Voluntária

2003-07-29 01:51:49

Permacultura: A Cooperação com a Natureza

2003-07-15 20:16:55

O Conceito de Sustentabilidade e Desenvolvimento Sustentável

2003-06-03 01:36:07

Reflexões sobre a Cidadania

2003-05-29 01:41:42

HINO NACIONAL BRASILEIRO

2003-05-07 10:04:59

Temos observado que um dos principais aspectos desafiantes na convivência entre membros de um grupo ou comum-unidade, na realização de qualquer projeto ou empreendimento sempre foi a questão da LIDERANÇA: a distribuição de responsabilidades, as esferas e competências decisórias, o equilíbrio do tão afamado poder, a justiça igualitária e o desenvolvimento de parcerias.

No início deste novo milênio, ainda vivemos num modelo dominantes/dominados; a diferença é interpretada em termos de superioridade e inferioridade. Numa dimensão de Parcerias, as diferenças são reconhecidas e nutridas, trabalhando-se ativamente para formar relações que enriqueçam as vidas individuais e fortaleçam as comunidades.

Temos observado que um dos principais aspectos desafiantes na convivência entre membros de um grupo ou comum-unidade, na realização de qualquer projeto ou empreendimento sempre foi a questão da LIDERANÇA: a distribuição de responsabilidades, as esferas e competências decisórias, o equilíbrio do tão afamado poder, a justiça igualitária e o desenvolvimento de parcerias.

No início deste novo milênio, ainda vivemos num modelo dominantes/dominados; a diferença é interpretada em termos de superioridade e inferioridade. Numa dimensão de Parcerias, as diferenças são reconhecidas e nutridas, trabalhando-se ativamente para formar relações que enriqueçam as vidas individuais e fortaleçam as comunidades.

Percebemos que é vital nos dedicarmos ao aprofundamento de estudo e experimentação de novos modos de gestão de grupos em nossas organizações, mais harmônicos e mais afinados com o bem comum, a partir de uma conexão interna e de consciência mais ampla.


A verdadeira Liderança está dentro de cada indivíduo comprometido com um propósito, visão e missão abrangentes. Neste sentido, é necessário investigarmos e investirmos em competências duráveis, como atitudes e posturas.

Que tal começarmos alinhando algumas considerações? Pois a cada dia, estamos descobrindo novas dimensões sobre liderança.

A complexa temática da liderança, numa referência fantástica, é apresentada por Charles F. Kiefer, através de três áreas principais:

a) O líder detém a custódia ou está a serviço da visão da organização, sendo um catalisador da visão coletiva, originada de seus próprios membros.

b) O líder capacita e treina os outros para que eles próprios criem o que eles desejam, isto é, vai além da simples aquiescência para uma legítima adesão (liberdade de criação).

c) O líder é um criador de estruturas, conservando e moldando canais para a energia criativa de todos na obtenção de resultados com os quais estão comprometidos. São exemplos de estruturas numa organização: cargos/funções, gratificações, metas, crenças, valores, hábitos, informações, processos físicos, etc...

Assim, o verdadeiro líder se vê como parte do "organismo vivo", propiciando que o processo seja participativo para a geração de comprometimento autêntico. Procura inspirar e mobilizar as pessoas na direção de objetivos comuns e dá o exemplo vivo, no dia a dia, de seu compromisso, renovado e vitalizado, com o propósito compartilhado pelo grupo, fazendo todos evoluírem no processo.
Todos os participantes de um grupo devem se tornar líderes no que fazem.

Atitudes de Liderança e Parceria

"Os nossos pensamentos geram a nossa atitude,
a nossa atitude torna-se o nosso comportamento,
o nosso comportamento é a forma como tratamos os outros,
e como tratamos os outros é o que nós pensamos de nós mesmos."
(Kaylan Pickford)

Liderança e Parceria são, antes de tudo, uma questão de atitude. E portanto, o trabalho é interno e começa a partir de cada um de nós!

A seguir, partilhamos um pouco sobre o modo como procuramos abordar e reconhecer o tema da Liderança na "Associação Centro de Vivências Nazaré", conforme estudos e trabalhos em grupo. Tive pessoalmente o privilégio de incluir esse enfoque de Liderança na época em que elaborávamos o "Regulamente Interno" do Centro de Vivências.

Podemos considerar que liderar e ser liderado são os dois lados de uma mesma moeda. Exercitar a verdadeira liderança é algo que a todo momento estamos vivendo, estejamos ou não conscientes disso. Não é possível viver, existir, sem que, de algum modo estejamos respondendo a, ou exercendo alguma forma de liderança.

Estamos partindo do princípio de que toda e qualquer pessoa é uma/um líder em potencial e que liderar significa saber atuar e saber seguir a orientação intuitiva que nos chega de níveis mais profundos do nosso Ser. Estaremos liderando e orquestrando a nossa vida de uma maneira mais congruente com o que realmente somos e com o que queremos co-criar com o mundo que nos cerca.

Portanto, toda liderança é, primeiramente, uma resposta consciente ao que a INTUIÇÃO nos inspira a ser e fazer. Por intuição compreendemos a capacidade de perceber instantânea e integralmente a realidade de alguma coisa, alguém, uma situação, indagação, etc. , que se manifesta através de uma forte impressão (ou voz interior) e que se traduz numa absoluta convicção quanto à maneira de agir - ou de não agir. A percepção intuitiva está sempre nos impelindo a alinharmos tudo em relação aos efeitos sobre todos os homens e todas as condições.

Com base na idéia de que todo líder é alguém que está aberto à intuição e disposto a segui-la, descrevemos as atitudes de liderança:

Líder Ativo - é aquele cuja atuação é visível e pragmática. É a pessoa que age diretamente, deliberadamente, toma decisões concretamente. O líder ativo é como o piloto que está no comando do avião, ou o maestro que conecta todos os músicos de uma orquestra.
Líder Receptivo - é aquele que faz a polaridade complementar e direta com o líder ativo, respondendo com sua receptividade e seguindo conscientemente aquilo que a energia intuitiva torna evidente através do líder ativo. Ele pode questionar, sugerir, fazer propostas e participar a partir de um estado de atenção que é o de quem lidera quando sabe seguir. O líder receptivo sabe quando tocar o seu instrumento dentro da orquestra em parceria com todos os outros músicos.
Líder Apoiativo - é aquele cuja atitude, muitas vezes silenciosa, reflete a condição de quem se posiciona para estar consciente do todo, além da dualidade e dos pares de opostos. Ele consegue compreender o papel do maestro dentro de si, assim como o do musicista dentro da orquestra e está consciente da sinfonia inteira. Sua atitude é a de quem apoia, incondicionalmente, o que quer que esteja acontecendo agora e aqui, livre da necessidade de julgar ou avaliar. Sua postura está tão dinamizada pela observação criativa e apoiativa que não há ‘tempo' para que se divida entre uma ou outra parte. Essa ação-não-ação poderia ser comparada ao estado de meditação, ou seja, aquele em que se está consciente de sua "unidade" com o todo.

A essência da liderança está num plano sutil, invisível e só é possível praticar, sentir e intuir. Quando estamos conscientes dessas possibilidades de liderança, e, principalmente, quando passamos a integrar essas atitudes em nosso Ser - identificadas como alterações de estados/fluxos de percepção - podemos descobrir a grande parceria que reina em nosso próprio mundo interno, individual. E então podemos experimentar a natural revelação da parceria externa, na convivência e interação com as demais pessoas e grupos, como uma extensão da parceria interna. Pois a cada atitude, cada ação interna corresponde uma atitude, uma ação externa e vice-versa. Experimente e veja o que acontece nessa especial sinfonia!

Referências:

  • DE PAULA, E. C. - Praticando a Cooperação: Módulo Jan/2002 - Curso de Pós Graduação Lato Senso em Jogos Cooperativos - Projeto Cooperação/UNIMONTE - Centro Universitário Monte Serrat, Santos - SP
  • KIEFER, C.F. - A Lideranças nas Organizações Metanóicas
  • NAZARÉ - Associação Centro de Vivências Nazaré - Regulamento Interno (versão Jan/2001): Nazaré Paulista-SP

Artigo publicado na Revista Jogos Cooperativos, N. 7 - Ano I - Fevereiro de 2002

human wigs for white womenreal hair wigs for womenreal hair wigsPaula young wigs for women - Real hair wigslong angled bob