This wig ornaments appears very early. As early as in ancient Egypt, the ancient Egyptian men have shaved his head after all shave and wear wigs. Later the Romans by Egyptian influence, is also keen to wear a wig.cosplay wigsclip in hair extensionshuman hair extensions for womenclip in human hair extensionsreal hair wigshuman hair wigs for white women
Os Donos do Planeta: Corporações 2005
  • catalisa@catalisa.org.br

Mais Artigos

ATIVIDADES CATALISA 2012-2013

2013-07-06 21:17:39

Documentos finais da RIO+20

2013-03-09 19:58:34

Movimento ambiental brasileiro aponta retrocessos na política ambiental do MMA

2012-12-28 00:00:00

Declaração da IX Assembleia Geral da Rede Brasil

2012-08-28 00:00:00

ATIVIDADES CATALISA 2011-2012

2012-07-29 00:00:00

RECEITA DE ANO NOVO

2011-12-05 00:00:00

Saúde e Ambiente: Serra Clara, Delfim Moreira/MG

2011-10-26 00:00:00

Especialistas alertam para o perigo dos agrotóxicos para a saúde humana e o meio ambiente

2011-05-12 00:00:00

Brasil implementa ações para garantir água em quantidade e qualidade

2011-04-01 00:00:00

Atividades CATALISA 2010-2011

2011-03-30 00:00:00

Ambiente e saúde: avaliação na Microbacia da Serra Clara, Alto Sapucaí, Delfim Moreira/MG

2011-02-10 00:00:00

Lagos e Rios no Ciclo de Carbono

2011-01-22 00:00:00

Recuperação de Áreas Degradas

2010-11-30 00:00:00

Água doce e ameaçada

2010-10-05 00:00:00

Atividades CATALISA 2009 - 2010

2010-05-30 00:00:00

Década Internacional: Água é Vida

2010-04-15 00:00:00

Norma ISO 26000 é aprovada para publicação em 2010

2010-02-25 00:00:00

Atividades CATALISA 2008 - 2009

2009-04-10 13:52:01

Responsabilidade Social e a construção da Norma ISO 26000

2008-09-26 20:49:42

Capacitação da sociedade: estratégia para a gestão de Recursos Hídricos

2008-08-16 21:48:45

O Evento Festival da Água no Terceiro Milênio

2008-07-14 18:50:23

Educação Ambiental e Agenda 21

2008-05-07 16:56:04

Atividades CATALISA 2007 - 2008

2008-05-03 01:00:32

Refletindo sobre Aquecimento Global e nossa Sociedade

2007-10-01 03:00:00

Escassez de água atinge 1,4 bilhão de pessoas no mundo

2007-09-03 22:18:25

AGENDA 21 LOCAL: A Cooperação entre os 3 Setores em busca da Sustentabilidade

2007-07-01 03:00:00

Atividades CATALISA 2006-2007

2007-05-16 21:02:38

Declaração Universal dos Direitos da Água

2007-03-04 20:58:27

Mudanças Climáticas - Futuro Radical

2007-02-15 16:53:05

Água: Uma Década de Lei

2007-01-23 12:00:30

Refletindo sobre Redes e Desenvolvimento Local

2006-11-09 09:48:18

Brasil - Índice de Desenvolvimento Humano

2006-11-09 00:00:00

Atividades CATALISA 2005-2006

2006-09-20 00:00:00

I Conferência Nacional de Economia Solidária - junho 2006 - Documento Final

2006-08-10 00:13:26

Carta de Santa Maria - Economia Solidária

2006-07-10 00:00:00

Economia Solidária - Texto Base da I CONEA (Síntese)

2006-05-18 15:53:13

Carta Convenção da Diversidade Biológica - COP 8

2006-03-30 00:00:00

Os Donos do Planeta: Corporações 2005

2006-01-14 22:00:57

Conferencia Nacional de Meio Ambiente - Texto Base - MMA

2005-11-08 13:53:39

Pegada Ecológica

2005-10-24 16:45:49

Criação de REDE DE TROCAS entre Empreendimentos Solidários da Cidade de São Paulo

2005-10-15 21:28:15

Lei Especifica Guarapiranga

2005-10-06 16:34:36

Carta de Compromisso Produção Mais Limpa

2005-10-06 14:55:10

Atividades CATALISA 2004-2005

2005-09-30 00:00:00

Consumo Consciente e a Redução de Lixo Produzido

2005-09-26 22:18:26

Conselho Nacional de Economia Solidaria

2005-08-30 15:56:54

Propostas do Ciclo de Seminários Parlamento das Águas

2005-08-24 13:58:11

Cooperação para Sustentabilidade na Capacitação da Sociedade Civil

2005-07-01 13:34:54

Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda - Termo de Referencia

2005-06-28 19:35:26

Composição do Comitê da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê / 2005 - 2007

2005-06-28 15:12:13

Anteprojeto de Lei de Regulamentação de Cooperativas de Trabalho

2005-05-31 12:36:13

Microcrédito: a Democratização do Crédito

2005-04-29 16:59:46

Projeto de Lei de Economia Solidária do Estado de São Paulo

2005-03-30 10:47:21

Situação Atual do Mundo

2005-02-15 05:01:34

Jogos Cooperativos na Economia Solidária

2004-12-10 04:19:20

Economia Solidária: a Cooperação nas Relações de Trabalho

2004-11-01 02:01:26

Coperativismo e seus Princípios

2004-09-30 20:48:39

Comércio Justo e Solidário

2004-06-29 02:09:44

Caracterização de Empreendimentos Solidários

2004-05-25 09:54:05

Carta de Princípios da Economia Solidária

2004-04-21 04:52:36

Plano Estadual de Recursos Hídricos

2004-02-02 14:15:34

HINO À BANDEIRA

2003-11-19 10:09:02

HINO À PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

2003-11-15 10:17:22

Consciência de Grupo: A essência da Cooperação

2003-11-15 04:10:17

Ética e Cooperação

2003-10-29 01:47:48

HINO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

2003-09-07 21:58:12

Balanceando o Poder

2003-09-07 04:13:30

Partilhando sobre Liderança e Parceria

2003-08-10 04:07:15

Ecologia Interna e Simplicidade Voluntária

2003-07-29 01:51:49

Permacultura: A Cooperação com a Natureza

2003-07-15 20:16:55

O Conceito de Sustentabilidade e Desenvolvimento Sustentável

2003-06-03 01:36:07

Reflexões sobre a Cidadania

2003-05-29 01:41:42

HINO NACIONAL BRASILEIRO

2003-05-07 10:04:59

A petroleira BP é a segunda maior empresa do mundo, seguida pela Exxon Mobil, Shell, General Motors, Daimler Chrysler, Toyota Motor, Ford Motor, General Electric, Total, Chevron pela ordem de entrada da seu faturamento até 2005. Cada uma delas constitui economias maiores que Portugal, Israel, Irlanda ou Nova Zelândia. A maior empresa do mundo continua a ser a Wal-Mart, cujo volume de vendas é maior do que o produto interno bruto da Arábia Saudita e Áustria. A Wal-Mart é a vigésima economia do planeta. Dentre as 100 maiores economias do globo há outros supermercados, como Carrefour, Home Depot, Metro e Royal Ahold, procesadores de alimentos, como a Nestlé e o Grupo Altria (proprietário da Kraft Foods e da Phillip Morris), juntamente com grupos financeiros como o Citigroup, ING e HSBC, e empresas de informática e telecomunicações como IBM, Siemens, Hitachi, Hewlet Packard, Samsung e Sony. Em 2004, as 200 maiores multinacionais do planeta concentravam 29 % da atividade econômica mundial. Muitos analistas pensavam que a onda de fusões corporativas principiadas nos anos noventa estava a reduzir-se, mas o valor das fusões e compras entre empresas atingiu 1,95 mil milhões de dólares em 2004, 40 % superior ao ano de 2003. Cada vez menos empresas, maiores e com maior porcentagem de mercado. Na sombra, mas com enorme poder, cresce a dominação de mercado através de oligopólios de propriedade intelectual, manipulado com mínimas modificações para estender a vida das patentes, e, associado a este, o fortalecimento de cartéis globais de tecnologias.

Com tal poderio, e cada vez mais legislações nacionais e internacionais em seu favor, as multinacionais condicionam diariamente a vida de todos, criando guerras reais e de mercado, entremeadas em governos e meios de comunicação, deslocando um enorme poder de propaganda e apropriando-se dos mercados, desde a produção até a compra direta do consumidor.

Segundo o relatório do Grupo ETC, Oligopoly Inc 2005 ( www.etcgroup.org ), que monitora as atividades das corporações globais, fundamentalmente na agricultura, alimentação e farmacêutica, desde o relatório anterior, publicado em 2003, as 10 maiores indústrias de sementes saltaram do controle de um terço do comércio global para a metade de todo o setor. Com a compra da empresa mexicana Seminis, a Monsanto passou a ser a maior empresa global de venda de sementes (não só transgênicas, das quais controla 90 %, como também de todas as sementes vendidas comercialmente no globo), seguida pela Dupont, Syngenta, Groupe Limagrain, KWS Ag, Land O'Lakes, Sakata, Bayer Crop Sciences, Taikii, DLF Trifolium e Delta and Pine Land.

Em agrotóxicos, as 10 principais recebem 84 % das vendas globais. São: Bayer, Syngenta, BASF, Dow, Monsanto, Dupont, Koor, Sumitomo, Nufarm e Arista. Com tal nível de concentração, os analistas prevem que sobreviverão apenas três: Bayer, Syngenta e BASF. A Monsanto não renunciou a este lucrativo mercado, mas seu atraso relativo - do terceiro para o quinto lugar - deve-se ao fato de estar voltada para a produção de transgênicos como frente de venda dos agrotóxicos.

Várias das mesmas empresas estão entre as 10 maiores farmacêuticas e de produtos veterinários. As 10 maiores farmacéuticas controlam 59 % do mercado: Pfizer, Glaxo SmithKline, Sanofi-Aventis, Jonson & Jonson, Merck, AstraZeneca, Hoffman-La Roche, Novartis, Bristol Meyers Squibb e Wyeth. As dez maiores em produtos veterinários têm 55% do mercado.

As 10 maiores empresas biotecnológicas (dedicadas a subprodutos para a farmacêutica e a agricultura) são apenas 3 % da totalidade desse tipo de empresas, mas controlam 73 % das vendas. As principais são: Amgen, Monsanto e Genentech.

Em processamento de alimentos e bebidas, a Nestlé mantém o seu poderio, duplicando ou triplicando o volume de vendas dos seus competidores mais próximos: Archer Daniel Midlands, Altria, PepsiCo, Unilever, Tyson Foods, Cargill, Coca-Cola, Mars e Danone. Juntas controlam 24 % do mercado global e recebem 36 % dos lucros das 100 maiores.

Todas as empresas mencionadas finalmente dependem das vendas ao consumidor. Aí estão os tiranossauros do mercado global, condicionando desde quem produz e onde produz, até o que chega ao consumidor, com que qualidade e com que preço, passando pelos processadores e distribuidores. A lista é encabeçada pela Wal-Mart, cujas vendas são quase iguais à soma das dos quatro competidores mais próximos: Carrefour, Metro, Ahold e Tesco.

Quando o New York Times começou a falar da "walmartização" referia-se ao modo como a Wal-Mart havia pressionado a baixa de salários e da segurança social dos trabalhadores nas suas lojas nos Estados Unidos. Situação que se repete por todo o mundo nos lugares onde se instala, além de liquidar as pequenas lojas locais, efeito que têm todos estes grandes supermercados.

Em 8 de Fevereiro de 2004, Peter Goodman e Philip Pan escreviam no Washington Post: "Enquanto o capital revista o globo à procura de trabalhadores mais baratos e maleáveis, e enquanto os países pobres recorrem às multinacionais para que lhes proporcionem empregos e abram mercados de exportação, a Wal-Mart e a China constituíram-se na mais extrema empresa conjunta de capital de risco. Sua simbiose influencia as condições de trabalho e de consumo por todo o mundo". Atualmente, devido a condições laborais e preços tão baratos que as maquiladoras miseráveis de Bangladesh não conseguem superar, 80 % das 6 mil fábricas que abastecem a Wal-Mart estão na China.

Frente a esta enormidade, o fortalecimento das estruturas comunitárias e solidárias não é uma opção ideológica: é um princípio de sobrevivência.

por Silvia Ribeiro, Investigadora do Grupo ETC
human wigs for white womenreal hair wigs for womenreal hair wigsPaula young wigs for women - Real hair wigslong angled bob