This wig ornaments appears very early. As early as in ancient Egypt, the ancient Egyptian men have shaved his head after all shave and wear wigs. Later the Romans by Egyptian influence, is also keen to wear a wig.cosplay wigsclip in hair extensionshuman hair extensions for womenclip in human hair extensionsreal hair wigshuman hair wigs for white women
Lei Especifica Guarapiranga
  • catalisa@catalisa.org.br

Mais Artigos

ATIVIDADES CATALISA 2012-2013

2013-07-06 21:17:39

Documentos finais da RIO+20

2013-03-09 19:58:34

Movimento ambiental brasileiro aponta retrocessos na política ambiental do MMA

2012-12-28 00:00:00

Declaração da IX Assembleia Geral da Rede Brasil

2012-08-28 00:00:00

ATIVIDADES CATALISA 2011-2012

2012-07-29 00:00:00

RECEITA DE ANO NOVO

2011-12-05 00:00:00

Saúde e Ambiente: Serra Clara, Delfim Moreira/MG

2011-10-26 00:00:00

Especialistas alertam para o perigo dos agrotóxicos para a saúde humana e o meio ambiente

2011-05-12 00:00:00

Brasil implementa ações para garantir água em quantidade e qualidade

2011-04-01 00:00:00

Atividades CATALISA 2010-2011

2011-03-30 00:00:00

Ambiente e saúde: avaliação na Microbacia da Serra Clara, Alto Sapucaí, Delfim Moreira/MG

2011-02-10 00:00:00

Lagos e Rios no Ciclo de Carbono

2011-01-22 00:00:00

Recuperação de Áreas Degradas

2010-11-30 00:00:00

Água doce e ameaçada

2010-10-05 00:00:00

Atividades CATALISA 2009 - 2010

2010-05-30 00:00:00

Década Internacional: Água é Vida

2010-04-15 00:00:00

Norma ISO 26000 é aprovada para publicação em 2010

2010-02-25 00:00:00

Atividades CATALISA 2008 - 2009

2009-04-10 13:52:01

Responsabilidade Social e a construção da Norma ISO 26000

2008-09-26 20:49:42

Capacitação da sociedade: estratégia para a gestão de Recursos Hídricos

2008-08-16 21:48:45

O Evento Festival da Água no Terceiro Milênio

2008-07-14 18:50:23

Educação Ambiental e Agenda 21

2008-05-07 16:56:04

Atividades CATALISA 2007 - 2008

2008-05-03 01:00:32

Refletindo sobre Aquecimento Global e nossa Sociedade

2007-10-01 03:00:00

Escassez de água atinge 1,4 bilhão de pessoas no mundo

2007-09-03 22:18:25

AGENDA 21 LOCAL: A Cooperação entre os 3 Setores em busca da Sustentabilidade

2007-07-01 03:00:00

Atividades CATALISA 2006-2007

2007-05-16 21:02:38

Declaração Universal dos Direitos da Água

2007-03-04 20:58:27

Mudanças Climáticas - Futuro Radical

2007-02-15 16:53:05

Água: Uma Década de Lei

2007-01-23 12:00:30

Refletindo sobre Redes e Desenvolvimento Local

2006-11-09 09:48:18

Brasil - Índice de Desenvolvimento Humano

2006-11-09 00:00:00

Atividades CATALISA 2005-2006

2006-09-20 00:00:00

I Conferência Nacional de Economia Solidária - junho 2006 - Documento Final

2006-08-10 00:13:26

Carta de Santa Maria - Economia Solidária

2006-07-10 00:00:00

Economia Solidária - Texto Base da I CONEA (Síntese)

2006-05-18 15:53:13

Carta Convenção da Diversidade Biológica - COP 8

2006-03-30 00:00:00

Os Donos do Planeta: Corporações 2005

2006-01-14 22:00:57

Conferencia Nacional de Meio Ambiente - Texto Base - MMA

2005-11-08 13:53:39

Pegada Ecológica

2005-10-24 16:45:49

Criação de REDE DE TROCAS entre Empreendimentos Solidários da Cidade de São Paulo

2005-10-15 21:28:15

Lei Especifica Guarapiranga

2005-10-06 16:34:36

Carta de Compromisso Produção Mais Limpa

2005-10-06 14:55:10

Atividades CATALISA 2004-2005

2005-09-30 00:00:00

Consumo Consciente e a Redução de Lixo Produzido

2005-09-26 22:18:26

Conselho Nacional de Economia Solidaria

2005-08-30 15:56:54

Propostas do Ciclo de Seminários Parlamento das Águas

2005-08-24 13:58:11

Cooperação para Sustentabilidade na Capacitação da Sociedade Civil

2005-07-01 13:34:54

Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda - Termo de Referencia

2005-06-28 19:35:26

Composição do Comitê da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê / 2005 - 2007

2005-06-28 15:12:13

Anteprojeto de Lei de Regulamentação de Cooperativas de Trabalho

2005-05-31 12:36:13

Microcrédito: a Democratização do Crédito

2005-04-29 16:59:46

Projeto de Lei de Economia Solidária do Estado de São Paulo

2005-03-30 10:47:21

Situação Atual do Mundo

2005-02-15 05:01:34

Jogos Cooperativos na Economia Solidária

2004-12-10 04:19:20

Economia Solidária: a Cooperação nas Relações de Trabalho

2004-11-01 02:01:26

Coperativismo e seus Princípios

2004-09-30 20:48:39

Comércio Justo e Solidário

2004-06-29 02:09:44

Caracterização de Empreendimentos Solidários

2004-05-25 09:54:05

Carta de Princípios da Economia Solidária

2004-04-21 04:52:36

Plano Estadual de Recursos Hídricos

2004-02-02 14:15:34

HINO À BANDEIRA

2003-11-19 10:09:02

HINO À PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

2003-11-15 10:17:22

Consciência de Grupo: A essência da Cooperação

2003-11-15 04:10:17

Ética e Cooperação

2003-10-29 01:47:48

HINO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

2003-09-07 21:58:12

Balanceando o Poder

2003-09-07 04:13:30

Partilhando sobre Liderança e Parceria

2003-08-10 04:07:15

Ecologia Interna e Simplicidade Voluntária

2003-07-29 01:51:49

Permacultura: A Cooperação com a Natureza

2003-07-15 20:16:55

O Conceito de Sustentabilidade e Desenvolvimento Sustentável

2003-06-03 01:36:07

Reflexões sobre a Cidadania

2003-05-29 01:41:42

HINO NACIONAL BRASILEIRO

2003-05-07 10:04:59

Este documento, elaborado com informações da Câmara Técnica de Planejamento e Gestão do Subcomitê Cotia Guarapiranga, tem por objetivo apresentar o resultado das discussões ocorridas nas audiências públicas nos dias 14 e 28 de setembro de 2005, respectivamente, no CEU - Cidade Dutra e em Itapecerica da Serra, visando esclarecer os principais questionamentos feitos nas audiências, conforme seguem os itens abaixo descritos:

Item 1 - Estabelecimento da cota do reservatório e faixa de preservação no entorno do reservatório Guarapiranga.

A proposta de lei adotou como faixa de proteção permanente do reservatório a mesma utilizada na Lei 1.172/76, ou seja, 50 metros a partir do nível de água máximo. Durante a elaboração do projeto de lei, foi formalizada consulta à EMAE, órgão responsável pela operação do reservatório. Em documento encaminhado pelo Secretário de Energia, Recursos Hídricos e Saneamento, foi reiterada a manutenção do nível máximo na cota 737,85, indicada no PL 085/04.
Tinha-se como opção continuar com o valor vigente na lei 1.172/76, sem modificações ou aplicar o valor atualmente utilizado no Código Florestal - 100m em todo o reservatório e, optou-se pela manutenção do estabelecido na Lei Estadual 1.172/76 por ser menos restritiva.
Na audiência pública dia 28 de setembro, foi apresentado uma proposta de retirada da citação na lei do valor referência de nível máximo (737,85).
Os municípios da bacia, o Estado e a sociedade civil representados em reunião, consideram a proposta viável de ser aceita, uma vez que não prejudica o texto do projeto de lei. Desta forma, propõe-se que conste na Lei específica o mesmo texto constante na Lei Estadual Nº 1.172/76, isto é, considera-se faixa de preservação permanente do reservatório:

 “a faixa de 50m de largura, medida em projeção horizontal, a partir da linha de contorno correspondente ao nível de água máximo dos reservatórios públicos, existentes e projetados”.
        
Item 2 - A utilização do fósforo como parâmetro de avaliação e do MQUAL como instrumento de planejamento e gestão.

O fósforo é o indicador mais apropriado para o acompanhamento da meta de qualidade da água do reservatório Guarapiranga, pois este é o elemento limitante do processo de eutrofização do reservatório (crescimento de algas), além de ser conservativo e facilmente mensurável.
O fósforo foi escolhido como indicador de qualidade da água do reservatório, pois em termos de qualidade da água o maior problema constatado se refere ao lançamento de esgotos domésticos nos cursos d’água afluentes ao reservatório, elevando a carga de fósforo e, conseqüentemente, o acentuado crescimento de algas, prejudicando a qualidade da água captada para abastecimento público.
Ressalta-se ainda que o monitoramento realizado pela SABESP e CETESB inclui uma gama ampla de parâmetros físico-químicos e biológicos, os quais, sem dúvida, continuam a sendo válidos.
Os municípios da bacia, o Estado e a sociedade civil representada consideram um avanço na gestão dos mananciais o acompanhamento da evolução da qualidade da água na gestão integrada da bacia.
Quanto à utilização do MQUAL na gestão, ressaltamos que o mesmo não é um instrumento de licenciamento e sim um modelo matemático que pode auxiliar neste processo. Isto é, ele é um instrumento que correlaciona o uso do solo com a qualidade da água. Não é utilizado diretamente no licenciamento de atividades, mas como importante instrumento de simulação de cenários e avaliação de impactos positivos ou negativos de grandes intervenções na bacia hidrográfica.
Outro ponto questionado foram os custos do monitoramento previsto na lei.
Cabe salientar que o monitoramento atualmente realizado é suficiente para alimentar os dados e informações do modelo. Desta forma, não será necessária a alteração da rede de amostragem e nem do sistema de monitoramento aplicado.

3- O tratamento dado ao processo de regularização no PL 085/04.

O processo de regularização de empreendimentos e atividades previstos no projeto de lei vincula a regularização à recuperação ambiental da bacia, para tanto são previstos mecanismos, diretrizes e parâmetros para cada Área de Intervenção definidas no PL 085/04.
A partir desta premissa principal foram previstos mecanismos de regularização para estimular a recuperação, mediante definição de critérios de redução da carga afluente ao reservatório, implantação de infra-estrutura de saneamento ambiental e medidas de compensação aos parâmetros urbanísticos que se reverta para a melhoria da qualidade ambiental da bacia.
Para os casos de empreendimentos de interesse social, o projeto prevê mecanismos diferenciados ao estabelecer os Programas de Recuperação de Interesse Social – PRIS. Estes programas podem ser propostos pela comunidade em conjunto com o poder público estadual ou municipal ou ambos. As propostas de recuperação e regularização serão objeto de avaliação pelo sistema de gestão proposto na lei para definição da viabilidade ou não das propostas de recuperação e regularização contidas no programa.

4 - Medidas de compensação previstas no PL – 85

No PL – 85 é proposta a adoção de mecanismos alternativos de compensação que poderão ser utilizados tanto para a regularização de empreendimentos como para a implantação de novos empreendimentos cujos parâmetros urbanísticos não estiverem adequados aos previstos na lei. As alternativas propostas deverão ser  sempre discutidas e aprovadas em conjunto (Estado e municípios envolvidos) e, as compensações propostas devem, comprovadamente, apresentar ganhos mensuráveis à recuperação ambiental da bacia.

5 – Aplicação da Lei Específica

As normas e parâmetros constantes no PL – 85 são auto aplicáveis pelo Estado, ou seja, não é preciso decreto regulamentador, na maioria dos casos, para se dar início ao processo de regularização. A passagem para as prefeituras municipais das atribuições de licenciamento previstas no projeto de lei, precisa apenas da verificação de compatibilidade da lei municipal com os parâmetros fixados na lei estadual. Este processo necessita da aprovação do subcomitê de bacia.
Cabe ressaltar que a maioria dos municípios da bacia já adequou sua legislação de uso e ocupação do solo ao PL – 85.
Finalmente, os municípios da bacia, o Estado e a sociedade civil representada, requerem caráter de urgência na aprovação do Projeto de Lei pela Assembléia Legislativa, tendo em vista o entrave para o desenvolvimento sustentável e a recuperação da bacia associados aos crescentes problemas socioambientais e de gestão deste importante patrimônio público para a Região Metropolitana de São Paulo – o reservatório Guarapiranga.

Cabe salientar que os Prefeitos e Subprefeitos da região, reunidos, em 03.10.05, com o Secretario de Estado do Meio Ambiente manifestaram-se favoravelmente à aprovação do projeto de lei e seu encaminhamento para votação em caráter de urgência.

São Paulo, 04 de outubro de 2005.