This wig ornaments appears very early. As early as in ancient Egypt, the ancient Egyptian men have shaved his head after all shave and wear wigs. Later the Romans by Egyptian influence, is also keen to wear a wig.cosplay wigsclip in hair extensionshuman hair extensions for womenclip in human hair extensionsreal hair wigshuman hair wigs for white women
RETROCESSO NO RIO TIETÊ
  • catalisa@catalisa.org.br

Mais Notícias

Oficinas de Formação de Leitura Dramática em Escolas Públicas de Minas Gerais

2017-11-10 09:30:10

8º Fórum Mundial da Água será em Brasília, em março de 2018

2017-11-01 18:00:47

Premiação no Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 2017

2017-10-09 09:16:34

7º Simpósio Nacional de Ciência, Tecnologia e Sociedade

2017-10-08 17:57:00

Congresso ABES FENASAN 2017 aconteceu em São Paulo

2017-10-06 17:51:43

FUNDACENTRO-SP realiza Semana de Segurança Química

2017-09-06 15:56:40

ABES-MG promove Curso Noções sobre saneamento básico

2017-09-06 15:12:52

IX Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental (SBEA) acontece em julho de 2017 na UFMG

2017-05-19 15:37:42

CATALISA participa do Programa Tecendo Projetos Socioambientais da UMAPAZ

2017-05-17 15:43:36

Água, gestão e sustentabilidade

2017-05-05 12:37:03

Conferência Líder em tecnologias de águas e águas residuárias 2017 acontece em Florianópolis/SC

2017-04-05 15:00:00

Novos Núcleos CATALISA

2017-02-01 12:33:47

Catalisando 2016

2016-12-13 21:00:00

Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental (SBEA) - Etapa Sudeste

2016-11-05 17:00:00

5o. Congresso Lationoamericano de Dessalinização e Reúso de Água acontece em Santiago, Chile

2016-10-15 13:10:00

Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ 2016

2016-09-16 13:00:00

Os 10 conflitos ambientais mais explosivos do mundo

2016-08-10 14:00:00

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)

2016-02-01 17:46:19

Cinco mudanças ambientais já em curso no Brasil e seus impactos

2015-12-06 13:55:00

RECOMENDAÇÕES DA ECONOMIA SOLIDÁRIA À AGENDA DE DESENVOLVIMENTO PÓS 2015 DA ONU

2014-06-24 15:46:28

Assinar Newsletter

Fonte: Jornal O Estado de São Paulo

Os resultados positivos alcançados nos últimos anos pelo Projeto Tietê retrocederam e o nível de oxigênio das águas do principal rio de São Paulo voltou aos patamares da década de 90, período em que a população, incentivada pela Rádio Eldorado e pelo Jornal da Tarde, exigiu das autoridades a recuperação do Tietê por meio de um abaixo-assinado ao qual aderiu 1,2 milhão de pessoas.

Em 1991, o governo estadual atendeu à reivindicação popular e a Sabesp implantou o maior programa de saneamento do País. O projeto deve ser concluído no ano que vem ao custo de US$ 1,5 bilhão, investido em obras de estações de tratamento de esgoto, redes coletoras, coletores-tronco, interceptores e estações de tratamento de esgoto - um esforço magnífico, mas solitário. A resistência dos proprietários de imóveis da região metropolitana em ligar a rede domiciliar de esgoto às redes coletoras e a omissão das prefeituras, responsáveis pelas obras de ligação das redes coletoras aos interceptores e coletores-tronco, condenam o Tietê à condição de rio morto.

Há quase dez anos, ao término da primeira fase do Projeto Tietê, a região metropolitana passou a contar com três novas estações de tratamento de esgoto (São Miguel, Parque Novo Mundo e ABC), além da ampliação da estação de Barueri, aumentando a capacidade de tratamento de resíduos domésticos de 9,5 mil litros para 18 mil litros por segundo. Ao mesmo tempo, foram construídos 1,5 mil quilômetros de novas redes coletoras de esgoto e 37 quilômetros de interceptores. Dessa forma, a capacidade da coleta saltou de 70% para 80% e a de tratamento, de 24% para 62%. Com muito esforço, foram realizadas 250 mil ligações residenciais, beneficiando 1 milhão de pessoas - um número expressivo se visto isoladamente, mas que, analisado num universo de 18 milhões de pessoas, mostra o quanto ainda era preciso avançar.

Entre os benefícios obtidos na primeira fase do projeto destacava-se a melhora da qualidade da água em 120 quilômetros do rio, comprovada pelo aparecimento de peixes nas cidades de Salto e Itu. Na época, porém, as autoridades responsáveis pelo projeto já advertiam que os resultados poderiam ser muito maiores e obtidos mais rapidamente se a população colaborasse realizando as ligações domiciliares às redes coletoras de esgoto e se as prefeituras da região metropolitana ligassem as redes coletoras aos coletores-tronco. As estações de tratamento apresentavam alta ociosidade porque o esgoto não chegava aos seus sistemas de tratamento.

E assim continuam até hoje. A cidade de São Paulo, a maior poluidora das águas do Tietê, ainda não trata 37% do esgoto que produz. Numa concentração de 11 milhões de pessoas, esse volume é alto demais. Em grande parte isso se deve à omissão da Prefeitura, que não exige dos proprietários de imóveis a ligação de esgoto de seu domicílio à rede coletora da Sabesp. Quem não cumprir a obrigação deve ser multado, segundo a lei. Mas não há notícia de alguém que tenha sofrido essa penalidade.

Guarulhos, a segunda maior poluidora do rio, não trata um litro de esgoto sequer. O Tietê recebe a cada segundo mil litros de esgoto in natura daquela cidade porque picuinhas políticas entre a prefeitura local e o governo do Estado impedem a realização de obras de ligação de redes. A primeira diz que espera desde 2001 financiamento do Estado para obras e lamenta ter sido a única a não ser contemplada. A Sabesp responde que as obras são de competência do município.

Por tudo isso, a um ano da data prevista para o encerramento da segunda fase do Projeto Tietê - quando serão entregues 36 quilômetros de interceptores, 110 quilômetros de coletores-tronco, 1,2 mil quilômetros de redes coletoras, 290 mil ligações domiciliares e 12 estações elevatórias de esgoto de grande porte -, a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) divulga o surpreendente relatório que mostra o retrocesso nos níveis de oxigênio das águas do Tietê e a alta concentração de substâncias tóxicas.
human wigs for white womenreal hair wigs for womenreal hair wigsPaula young wigs for women - Real hair wigslong angled bob